Marcha lenta

Quem esperava ver uma final de Campeonato Estadual com muitas emoções, assistiu a um duelo travado. ABC e América esbararam, especialmente, no receio de perder e o jogo terminou sem gols e sem surpresas. Nada fora do planejamento. Jogos decisivos, especialmente finais, tendem a ser mais lentos.

A própria final da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, entre Alemanha e Argentina – apesar do nível técnico superior – foi duro de ver. Poucas chances. Risco quase zero. Numa final de dois jogos, perder no primeiro embate não é opção.

Ninguém quer sair em desvantagem para o duelo decisivo e, por isso, a postura pouco ousada responsável por deixar o confronto em marcha lenta, quase sonolento, era algo até previsível. Mas o ritmo incomodou. Muito.

Houve nas redes sociais quem defendesse que os 180 minutos da final terminasse ali, com uma cobrança de pênaltis, mas evitar a segunda etapa de 90 minutos de um futebol pouco inspirado e raras chances de gol. Um golpe de misericórdia para autoestima do torcedor que esperava uma apresentação melhor das duas equipes. Não acredito que seja para tanto.

Prefiro acreditar que o encontro no Frasqueirão foi apenas um prólogo, uma introdução do que fato será a final, na próxima quarta-feira, na Arena das Dunas. Pior para o ABC que viu a chance de fazer valer o mando de campo para sair na frente na decisão ir parar nas mãos do goleiro Ewerton no minuto final.

Aos americanos, o resultado foi bom. Empate na casa do adversário e decisão na própria casa, somada a leve superioridade técnica da equipe e a moral elevada pelo melhor momento, reforça o favoritismo para os 90 minutos finais. Certo mesmo é que, no próximo encontro, o sonho do título passa a ser, real.
E para a história, não entrará quem jogar melhor, mais rápido, mais bonito, mas quem levantar a taça. E esse desfecho, na próxima quarta-feira, é inevitável.

Errou

Apesar do ritmo, o confronto teve lá uma pequena dose de polêmica. Um pênalti claro não marcado pelo árbitro Luis Flávio de Oliveira (FIFA-SP) do defensor Alisson Brand sobre o atacante abecedista, Rodrigo Rodrigues. A imagem é clara, mas o homem do apito preferiu guardar mais uma decisão equivocada na malinha que volta para São Paulo.

Em alta

A paciência da direção americana com o técnico Moacir Júnior tem se mostrado mais do que justificada. O time cresceu na reta final do Estadual e, mesmo com o jogo travado, os Alvirrubros mostraram certa superioridade sobre o arquirival e dá uma esperança ao torcedor da conquista do novo título.

Impossível

Não sou fã de responsabilizar um atleta pelo resultado ou mesmo um lance. Mas o torcedor dificilmente vai esquecer do gol perdido nos instantes finais por Anderson, do ABC. O jogador saiu cara a cara com o goleiro Ewerton e consagrou o arqueiro com um chute em cima do adversário.

Foi bem

A transmissão da InterTV foi o ponto alto da decisão. Apesar de a decisão de ser realizada a final na quarta-feira ter influenciado no público, a equipe fez um grande trabalho com Augusto César Gomes, Thiago César e Oscar. Destaque para o narrador Diego Dantas. Seguro, mostra que tem condições de ir longe no cenário nacional. Torcer para que a emissora ganhe gosto e passe a exibir mais duelos ao longo da temporada.

Foto: Canindé Pereira/AméricaFC

Anúncios

Um comentário sobre “Marcha lenta

  1. Realmente, o gol perdido foi duro! Mas o garoto joga muita bola, vai conseguir compensar no próximo jogo! Ainda mais com o abc entrando com 11 jogadores, já que o tal “jogador” Valdemir foi expulso e vai cumprir suspensão automática, obrigado meu Deus!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s